Eu naõ sei lidar


Que diferença faz se ontem era tanta paixão
Que diferença faz se hoje você sangra meu coração
Ontem afagava meus cabeços com tanta delicadeza
E hoje me deixa cheia de incerteza.

Me sinto numa ciranda de sensaçôes
Fico a viver e sentir afundando no limbo
Pensando onde estão os erros das emoçôes
Tudo em vão aqueles sentimentos nao eram limpos

Ja não me sinto valorizada pra amar
Nem mesmo vivida demais pra acreditar
Então porque os amores caem por chão
Justo quando abro e declaro minha paixão.

Uma poesia pra vc


Nossos encontros sao luminosos e coloridos
Você meu anjo raro Eu sua bela que te visita. 
São nestes momento que tudo ao redor desaparece 
Eu você o momento è tudo que temos.
Como se nunca mais fossem, gestos repetidos.   
Nos agarramos nestas carencias como coisas suspeitas. 
Paramos o tempo as horas. E noite a dentro vivemos
Sem lógica sem medidas sem receitas 

A cada beijo engolimos um pouco um do outro
E assim inseparaveis misturados corpos colados
saboreamos nosso amor na sua boca na minha boca  
Todo nosso ser cada linha cada curva cada pêlo
Cada celulas são registradas por esta sensação
Nossos olhares querem juntar nossas almas
Que secretamente doamos ao guardião dos enamorados. 


pintando o sol



 E assim num lugar longínquo simples e bucólico.
Onde havia verdes matas e talvez jardins pintados
Me juntei a natureza num lindo domingo de sol
E nisto que nutrem meus desejos por dias claros
Como se fosse água clara da fonte em vasos plantados. 


Pingos de chuvas agarrados á janela
Como bolinhas transparentes.
Esperava um amanhecer diferente.
O sol beijando a terra como ontem com sua caloridade.
Dia de sol a vida fluir, tempo cinzento se arrasta vagarosamente.
Diz à lenda que um dia assim e chamado de encardido
Talvez o sol apareça pálido cansado de ficar escondido.
Vai aparecer melancólico, junto com a chuva fina.

Mas os chuviscos demorados vai esconde-lo novamente


Apenas reflexão


Ao apertar as vista para mirar o horizonte
Tudo opaco nem os pensamentos escaparam 
Atordoada observo minha vida de ontem 
Estou invesivel onde estão os que me amparavam

A angustia me consome como um intenso clarão
Me jogo feito um pano transparente solto ao vento 
Tinjo minha mente como uma noite riscada em carvão 
Impedindo-me de chegar; Minha alma implora alento

Começo a vagar procurando sonhos no tempo
Nem sei ao certo onde! se numa caixa enbrulhada  
Ou num velho relogio deixado de lado ao relento
Ou talvez numa gaveta antiga abandonada

Nesta procura nada encontro só vazios pensamentos
Saio a procura do que restou como uma rainha sem trono
Sem opção deixo minha alma sair a favor do vento
A procura de um gota de esperança sem dono.


Um Amor distante


Foi num dia quando o sol olhava a terra 
Por um apelo do destino
Um força maior do cósmico
Uma mensagem recebida dos Deuses
Com apenas duas, duas palavras 
Nos achamos nas nuvens que passavam

Este contato inesperado me surpreendeu
Conversamos alguma coisa de nossas vidas 
Percebi como foi magico este encontro 
O universo conspirou a nosso favor 
Os anjos fizeram festa no céu
O vento que passou por ai veio ate mim
Oferecendo seu carinho seus momentos
E nos uniu como as cores do arco-iris


Você já é parte da minha vida 
Mesmo tão distante se interessa pelo meu dia  
Me atrevo ate a sonhar novamente
Sonho caminhando abraçados de mãos dadas
Nada para interferir nossa vidas interligadas

Como Zeus e Afrodite...Perseus e Andrômeda... e outros
Amaram-se eternamente tornando-se imortais
Assim seremos nos, O melhor da nossa historia
Sempre que olhar pro céu enxergar algo luminoso
Acredite estamos no mesmo céu.
Como estrelas e cometas brilhantes.



Outono cinzento



Haikais Tankas

 Outono cinzento


Domingo oprimido 
Preenchido por inteiro
Silencio indefinido 

No seu pijama de flanela
Saudosa dia todo na janela  


Sem aceitação

Onde buscar maravilhamento para um desencanto
Nas águas turvas lamacentas sonhando ter alegria?
Vagar pela vida procurando algo ou qualquer encanto
Negociando moedas de afeto como fosse joia e pedrarias

Pessoas relatam situações exalam  podridão
Ninguém ama apenas toleram-se em taças de rancor
Suas almas e vidas em jornadas de doença e solidão
Perdem-se nas mentiras num poço sujo e profundo de dor

Todas as  historias e fatos momentos belos e agradáveis.
Do dia anterior da semana antes do anterior ficam sem sentido.
`E como viver num lugar medíocre onde habitam os esquecidos

Passam-se o tempo ..Eu continuo fincada no chão
Confundo até maldades com afetividade
Aceitar suas misérias é preciso. Na jornada da continuidade

Contos e encontros



Foi numa tarde de sábado, musica muitas gente e você.
Alto galego camisa listrada de olhar maroto sorriso jovem.
Desajeitado me convida a bailar e divide sua bebida.
Como um beijos camuflados tomando no mesmo copo.
E desta forma trocamos muitos beijos em publico. 

Olhávamos olho no olho e nos acariciamos com o olhar 
O ambiente a musica tudo favorecia e deixei-me levar 
Num impulso entrelaçamos nossas mãos e caminhamos.
A musica continuou la longe, pessoas passavam por nos
Mas não enxergamos mas nada, eramos só nos e o universo
Vibrando nosso encontro 

Conversamos sobre as adversidades da vida e nos beijamos
Os momentos cinzentos, foram ficando luminosos.
Os momentos áridos foram ficando suaves
inseguranças e indecisões foram desaparecendo.
E ali naquele abraço aconchegante nos apaixonamos 







O Inevitável

      
 O Inevitável

Os anos chegaram corroendo minha certidão de idade, minha genealogia e até meu endereço.
Os anos vieram amarelaram meus cartões de visita e desvalidou meu nome, minha identidade, meu rosto bonito no porta retrato. Chegou sem que eu percebesse e devorou todos os papéis onde eu escrevera meus sonhos minhas lembranças agora me sinto uma invisível.
Enfim os anos fez parceria com o tempo me deixou anestesiada e faminto comeu minhas medidas apertou minhas roupas alargou meu corpo enfraqueceu meus ossos.

Me deixou sem lagrimas e mesclou meus cabelos. Como um vampiro entrou e sem dó nem piedade me carimbou em códigos de barra com prazos de validade...


Sou uma mortal, talvez fosse bom ser uma imortal, viveria sem estas preocupações citadas preencheria meus dias anos pela eternidade fazendo o que queria. 
A  morte eu assustaria. Não seria fácil mais eu tentaria novamente e novamente  
Determinada vivo um dia de cada vez, ignorando o tempo, criando estratégias me camuflando para viver bem os prazeres que a vida me oferece. 
São tantos que contarei noutra oportunidade. 






reflexão de um dia normal




Refletindo em dia normal flutuei nos meus pensamentos .
A angustia me bateu como pingos de chuvas ácidas no meu rosto
Pensar nas pessoas lá fora pelo qual tenho laços afetivos,
Esquecer as projeções enrealizavel por algum acontecimento
Compreender que tudo que acontece e minha própria Historia

Meus olhos transbordam uma saudade de alguma coisa que ainda não vivi
Tento em poesia e versos inventar momentos e pessoas
Por dentro e por fora e reconhece-las por algumas felicidades que me deram pelo caminho.
Por aqueles que sorriem comigo no porta-retratos na estante.
Esta mistura de sentimentos entram e se misturam em mim
Tenho dificuldade para atravessar o abismo da separação

Foi-se a época da deslumbrada que habitava em mim
Sim... por razoes adversas ou por mágoas ela foi confiscada
A deslumbrada que estava sempre de bem com a vida
Que ria muito de tudo que se deliciava com os risos dos outros,
Me impedia de cair. aquela era eu...
Mas o tempo escorregou e também a Levou
Imagens marcadas aqui ali nada inteiro só metades
Rascunhos de amor paixão tolerância e mais nada...