Poeiras do tempo

 Ah! quanto tempo passou.
Foram à muitos anos atras
Pelo imenso labirinto do tempo
Ainda sinto o aroma o som e o momento
O cheiro de todos os elementos
Me transporto e sinto o frio e o vento
Brotam  lembranças como flores em jardim
Raros momento marcados no coração
Verdadeiras histórias esculpidas em mim 
O morro o coqueiro e a paissagem a declinar
Meus pensamentos em tufões
Me transporto e sinto o vento passar

Aquele lugar com o tempo virou ribanceira
Sem mato sem bicicleta  só a terra mexida
Cadê o morro e suas goiabeiras
Meus amigos e as brincadeiras
Ficaram na memória como poeiras perdidas.

O resgate

                            O Resgate.


Cinco meninas e quatro meninos
Todos saudáveis e felizes
Trabalhos domésticos, brincadeiras.
Amiguinhas lições de casa
Água do poço, roupas lavadas.
E meus sonhos de menina

Meu pai, a venda, a vizinha.
A fábrica o trabalho, o romance.
As sobremesas de natal
O parque e as festas juninas
E meus sonhos de menina

A doença a morte e as lagrimas
A casa do morro, o quintal, a lata.
A noite o dia e a dura caminhada
A felicidade da mesa posta
E os meus sonhos de menina