não me deixe ir

Não me deixe ir... por sua insensatez


Preciso de você em cada palavra que escrevo 
Como um escritor para justificar seus relatos
Preciso de você para remendar meus erros 
Transformar os dias, semanas, anos em fatos

Preciso de você, como o desejo de um afago
Assim como namorada ou um amor seduzido 
Como uma amizade precisa de um abraço 
Assim como um vazio há ser preenchido..

Preciso de você para me inspirar
Me arrancar desta tênue insanidade 
Dar lucidez aos meus sentidos e alimentar   
Preciso de você para dar continuidade...




Amor bandido ( soneto)

Amor bandido que sonhos furtas 
Esvaziando alma de quem seduz 
Vivendo de histórias curtas 
Seu mundo medíocre é escuro sem luz

Sobras de cascalhos um quase nada 
Oferece afagos beijos odores e nuances 
Refém te faz como numa estrada fatigada 
Sem nunca poder viver um romance 

Transmutado hora demônio hora anjo 
No vazio de si mesmo ele rasteja 
Invadindo vidas intimidando e manipulando 

Há nele dentro e fora saudades carências 
Na frieza do coração, seu negro mundo constrói
Quem o ama  este amor feroz vicia e doí......

A duvida (poetrix)


Manhãs douradas

                       O sol floresce na janela


  Na mente ...

Idéias  germinadas.


##==##==##
Perdeu... 

Ele não chegou 

                                    Ela também não esperou 

                                                         Sobraram letrinhas 

                                                                                 Tempo apagou