pintando o sol



 E assim num lugar longínquo simples e bucólico.
Onde havia verdes matas e talvez jardins pintados
Me juntei a natureza num lindo domingo de sol
E nisto que nutrem meus desejos por dias claros
Como se fosse água clara da fonte em vasos plantados. 


Pingos de chuvas agarrados á janela
Como bolinhas transparentes.
Esperava um amanhecer diferente.
O sol beijando a terra como ontem com sua caloridade.
Dia de sol a vida fluir, tempo cinzento se arrasta vagarosamente.
Diz à lenda que um dia assim e chamado de encardido
Talvez o sol apareça pálido cansado de ficar escondido.
Vai aparecer melancólico, junto com a chuva fina.

Mas os chuviscos demorados vai esconde-lo novamente


Apenas reflexão


Ao apertar as vista para mirar o horizonte
Tudo opaco nem os pensamentos escaparam 
Atordoada observo minha vida de ontem 
Estou invesivel onde estão os que me amparavam

A angustia me consome como um intenso clarão
Me jogo feito um pano transparente solto ao vento 
Tinjo minha mente como uma noite riscada em carvão 
Impedindo-me de chegar; Minha alma implora alento

Começo a vagar procurando sonhos no tempo
Nem sei ao certo onde! se numa caixa enbrulhada  
Ou num velho relogio deixado de lado ao relento
Ou talvez numa gaveta antiga abandonada

Nesta procura nada encontro só vazios pensamentos
Saio a procura do que restou como uma rainha sem trono
Sem opção deixo minha alma sair a favor do vento
A procura de um gota de esperança sem dono.


Um Amor distante


Foi num dia quando o sol olhava a terra 
Por um apelo do destino
Um força maior do cósmico
Uma mensagem recebida dos Deuses
Com apenas duas, duas palavras 
Nos achamos nas nuvens que passavam

Este contato inesperado me surpreendeu
Conversamos alguma coisa de nossas vidas 
Percebi como foi magico este encontro 
O universo conspirou a nosso favor 
Os anjos fizeram festa no céu
O vento que passou por ai veio ate mim
Oferecendo seu carinho seus momentos
E nos uniu como as cores do arco-iris


Você já é parte da minha vida 
Mesmo tão distante se interessa pelo meu dia  
Me atrevo ate a sonhar novamente
Sonho caminhando abraçados de mãos dadas
Nada para interferir nossa vidas interligadas

Como Zeus e Afrodite...Perseus e Andrômeda... e outros
Amaram-se eternamente tornando-se imortais
Assim seremos nos, O melhor da nossa historia
Sempre que olhar pro céu enxergar algo luminoso
Acredite estamos no mesmo céu.
Como estrelas e cometas brilhantes.



Outono cinzento



Haikais Tankas

 Outono cinzento


Domingo oprimido 
Preenchido por inteiro
Silencio indefinido 

No seu pijama de flanela
Saudosa dia todo na janela  


Sem aceitação

Onde buscar maravilhamento para um desencanto
Nas águas turvas lamacentas sonhando ter alegria?
Vagar pela vida procurando algo ou qualquer encanto
Negociando moedas de afeto como fosse joia e pedrarias

Pessoas relatam situações exalam  podridão
Ninguém ama apenas toleram-se em taças de rancor
Suas almas e vidas em jornadas de doença e solidão
Perdem-se nas mentiras num poço sujo e profundo de dor

Todas as  historias e fatos momentos belos e agradáveis.
Do dia anterior da semana antes do anterior ficam sem sentido.
`E como viver num lugar medíocre onde habitam os esquecidos

Passam-se o tempo ..Eu continuo fincada no chão
Confundo até maldades com afetividade
Aceitar suas misérias é preciso. Na jornada da continuidade